Uma das principais dicas da especialista em sexo Regina Racco é que o casal jamais convide a terceira pessoa para mais de uma noite. Isso evita complicações, como o caso de alguém de fora acabar se apaixonando por um dos parceiros.

Por Regina Racco

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Você já deve ter ouvido numa rodinha de homens que uma das fantasias mais comuns entre eles (e também entre algumas mulheres) é o ménage à trois, ou seja, a relação sexual envolvendo três pessoas. Essa prática sexual, apesar de desejada, causa certa polêmica entre alguns casais, pois, ao mesmo tempo em que pode ser instigante, também assusta. O que é perfeitamente compreensível, afinal, nem todo mundo se sente à vontade para encarar essa aventura.

Desta forma, muitas pessoas mantêm a situação apenas no imaginário. Mas e você, já parou para pensar no que fazer se o seu parceiro, ou até vocês mesmo, também tiver o desejo de experimentar esse tipo de relação sexual e o casal decidir ir à prática algum dia? Você sabe qual o melhor caminho para que ninguém fique magoado e para que os envolvidos aproveitem ao máximo esse momento de prazer?

Bom, de imediato, lembro de uma resposta que de dei a uma leitora certa vez que me perguntou sobre esse assunto. “Essa é uma decisão que tem de ser muito bem pensada antes de ser decidida, ou seja, não dá para fazer e depois ver no que vai dar. Porque o arrependimento, neste caso, poderá colocar a relação em risco. Se há ciúmes, por exemplo, não dará certo, assim como se houver insegurança”, disse eu na época.

Aconselhei-a a aceitar a experiência apenas se ela mesma estivesse interessada, porque se fosse apenas para agradar o parceiro as coisas talvez não ficassem tão boas. Até porque ela estaria forçando a barra numa situação ao aceitar algo avesso ao seu próprio comportamento. Não sei no que deu porque ela não me retornou mais, no entanto, espero que tenha sido o melhor para ela. Agora, volto a afirmar que para alguém se envolver em algo assim é necessário um grau muito elevado de maturidade, segurança e bom domínio de si próprio, claro, além do conhecimento do outro.

Apesar disso, para alguns casais essa prática de “sexo a três” é um estilo de vida e eles sentem prazer, se divertem juntos com esse momento. Claro que é muito mais comum a relação a dois, mas há quem goste desse tipo de relação. E foi conversando com amigos, dentre os quais havia dois casais, que um deles disse que já havia tido a experiência com “ménage à trois”, mas que não tinha gostado. Sendo assim, os parceiros decidiram, então, não voltar a repetir a situação. Já o outro casal afirmou que se tornou usuário habitual deste tipo de sexo.

Em meio a esse bate-papo, que queiram ou não é atraente, decidimos levar à roda algumas regrinhas básicas que os casais poderiam definir juntos, antes de tomar a decisão pelo sexo a três ou não. Isso porque esse “acordo” evitaria qualquer tipo de constrangimento futuro. Afinal, o combinado nunca sai caro, certo?

Bom, dessa conversa eu pude tirar algumas conclusões interessantes e que compartilho com vocês a seguir, caso algum casal tenha interesse de se aventurar no sexo a três.

Vamos lá?

Deixe um comentário

Em caso de PÂNICO clique aqui! Aperte Esc para fechar